Aprovada indicação de Rafael de Mello Vidal para embaixador do Brasil em Angola

setembro 23, 2020

 A senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA) foi a relatora da indicação para a Embaixada do Brasil em Angol

O Plenário do Senado aprovou, nesta terça-feira (22), indicação do diplomata Rafael de Mello Vidal para o posto de embaixador do Brasil em Angola. A mensagem (MSF) 30/2020 foi aprovada com 42 votos favoráveis, 2 contrários e nenhuma abstenção. 

Rafael de Mello Vidal nasceu em Montevidéu, Uruguai, mas é brasileiro nato, pelos critérios da legislação brasileira, que considera a filiação. É bacharel em Direito pela Faculdade de Direito do Distrito Federal e iniciou sua carreira diplomática em 1991. No Brasil, entre outras funções, foi Subchefe da Divisão do Mercado Comum do Sul de 2003 a 2005. No exterior, trabalhou nos Estados Unidos, Colômbia, Uruguai, Venezuela, Paraguai, Dinamarca e Espanha. É o embaixador do Brasil no Mali desde 2019. 

Durante a sabatina na Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE) nesta segunda-feira, Rafael Vidal destacou o fato de que hoje vivem em Angola mais de 20 mil brasileiros. Isso faz de Angola, ressaltou, o país que mais atrai brasileiros na África. O diplomata ressaltou a importância de o Senado aprovar o acordo de cooperação na área de defesa que já foi assinado entre Brasil e Angola (PDL 86/2020). Ele argumenta que esse acordo pode incrementar ainda mais a pauta exportadora do Brasil para esse país. 

— A defesa é um dos pilares mais importantes da nossa relação com Angola, que é um dos três países africanos que mais investem nesse campo. O Brasil também está envolvido em assessoria militar para esse país, inclusive com exercícios militares conjuntos. A Embraer já vendeu cerca de 20 aeronaves militares para Angola, e há a perspectiva concreta de novas vendas. Também negociamos a construção de uma base e academia naval por lá — disse Vidal. 

O relatório da senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA) acrescenta que as relações diplomáticas entre Brasil e Angola possuem caráter estratégico e pautam-se na cooperação técnica, na articulação política e na integração econômica. Facilitam esse laço o idioma em comum, os laços culturais e históricos, a vizinhança atlântica e os desafios semelhantes entre as sociedades brasileira e angolana. 

Em 2019, o intercâmbio comercial entre os dois países totalizou US$ 585 milhões. As exportações do Brasil para Angola somaram US$ 445 milhões e as importações, US$ 140 milhões, acarretando um saldo de US$ 305 milhões favorável ao Brasil. Basicamente, o Brasil exporta açúcar e carnes e importa combustíveis.

VOCÊ PODE GOSTAR TAMBÉM

0 comments

ATENÇÃO!
Todos os comentários abaixo são de inteira RESPONSABILIDADE EXCLUSIVA de seus Autores(LEITORES/VISITANTES). E não representam à opinião do Autor deste Blog.