Postado em: 9 de outubro de 2021 | Por: Ezequiel Neves

Homem é preso no Maranhão acusado de estuprar filhos, cunhada, enteada e sogra; duas vítimas chegaram a engravidar

 


Um homem foi preso, na quinta-feira (7), acusado pelos crimes de estupro e estupro de vulnerável, na cidade de Rosário, a 72 km de São Luís, em cumprimento a mandado de prisão preventiva. Segundo a Polícia Civil do Maranhão, o investigado vinha praticando reiterados atos de violência sexual e psicológica contra a cunhada, enteada, sogra e todos os seus filhos.

“Essas denúncias haviam chegado na Delegacia há alguns anos, quando eu ainda não respondia pela Delegacia. Mas nunca conseguiram ser comprovadas. E, recentemente, chegaram, novas denúncias. E, com o auxílio do Conselho Tutelar de Icatu, começamos a pedir exames físicos e psicológicos. E foi aí que começamos a coletar os indícios de que os fatos que eram denunciados eram verdade”, disse a delegada Tatyani Porto Fraga, titular da Delegacia Especial da Mulher do Município de Rosário.

De acordo com as provas apuradas pela Delegacia Especial da Mulher (DEM) de Rosário, com base em depoimentos das vítimas e o relatório social elaborado pela equipe técnica do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS) de Rosário, os familiares viviam em situação extrema de vulnerabilidade e vitimização, a mercê dos abusos sexuais praticados pelo investigado.

“O que nós já conseguimos comprovar é que houve o estupro da cunhada, que acabou engravidando do autor e doou a criança. Também foi violentada a filha dessa cunhada, que foi a primeira ouvida e relatou que o homem estuprava a mãe dela, a prima, que também engravidou dele. A prima, que é enteada do agressor, confirmou a gravidez e que tinha abortado recentemente. Foi relatado que um dos meninos da casa também havia sido estuprado pelo autor e chegou até a adoecer, não conseguia andar direito. Esse fato nós não sabíamos e vamos investigar agora. A gente apurou que ele se achava o homem da casa e que todas as pessoas que estavam ali deveriam servir a ele como ele quisesse”, relatou Tatyani Porto.

A sogra, a filha biológica também chegaram a ser vítima de violência sexual e, assim como as outras vítimas, também sofriam agressões físicas e psicológicas.

“Nós identificamos que eles têm um grau de deficiências mental, um retardo, não uma incapacidade total, não algo que os impeçam de entender, de se lembrar de conversar. Mas existe um grau de deficiência que talvez tenha ajudado o crime ocorrer durante todos esses anos. E essa deficiência eu identifiquei na família da mãe, no autor não identificamos nada nesse sentido”, destacou a delegada.

Ainda segundo a polícia, foi possível constatar a gravidade dos crimes devido ao número de vítimas e pelo modus operandi das ações praticadas. O homem se valia do vínculo familiar, no qual possui com as vítimas – cunhada, enteada e filhos, e pelo fato de conviverem na mesma residência, para cometer os atos de abusos sexuais, no que tudo indica, de forma continuada e no âmbito doméstico.

“Inicialmente chegou até nós que ele havia estuprado a cunhada, irmã da esposa dele, e, possivelmente uma sobrinha, filha dessa cunhada e uma enteada. E nas oitivas no Creas de Rosário, todos os envolvidos foram acompanhados por psicólogos para que houvesse o menor dano possível. E se confirmaram todos os relatos de agressões sexuais. Em seguida, buscando provas físicas, testemunhais, porque infelizmente o estupro que acontece sem testemunhas, em locais ermos, dentro de casa. Acontece de uma forma que as pessoas não veem, sendo muito difícil conseguir uma testemunha para estupro”, explicou a delegada Tatyani Porto.

 (G1MA)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ATENÇÃO!
Todos os comentários abaixo são de inteira RESPONSABILIDADE EXCLUSIVA de seus Autores(LEITORES/VISITANTES). E não representam à opinião do Autor deste Blog.