Hospital Macrorregional de Santa Inês completa cinco anos e registra mais de 3 milhões de atendimentos

3:32:00 PM


O Governo do Estado contabilizou, no período de cinco anos, 3.651.152 atendimentos no Hospital Macrorregional Tomás Martins, em Santa Inês. Referência para 19 municípios da região do Vale do Pindaré, a unidade de saúde atende casos de alta e média complexidade. Nesta semana, na quarta-feira (25), o hospital completou cinco anos de funcionamento e assistência aos moradores da região e comemorou o anúncio de investimentos na unidade para a implantação de uma ala destinada ao atendimento materno-infantil. 

Além de Santa Inês, a unidade é referência para as regiões de Zé Doca e Pindaré, que compreendem cerca de 160 mil pessoas. Desde 2016, quando foi entregue pela gestão do governador Flávio Dino, a unidade oferece procedimentos oftalmológicos, cirurgias gerais, consultas multidisciplinares, consultas gerais, internações, procedimentos de enfermagem e Serviço de Apoio Diagnóstico Terapêutico.

“Quando pensamos em investir na unidade de saúde há cinco anos já sabíamos o quanto a região estava precisando de assistência. Hoje, comprovamos que foi e tem sido acertada a estratégia de descentralizar o atendimento aos maranhenses que não estão na capital. Esse é um dos grandes diferenciais desta gestão”, ressalta o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula.

A diretora administrativa do Macrorregional Tomás Martins, Jardene Carvalho, enfatizou o empenho para prestar uma assistência que atenda às necessidades da população. “Tenho visto diariamente o esforço de cada pessoa que integra o Hospital Tomás Martins. É importante destacar o apoio da Secretaria de Estado da Saúde e do Instituto Acqua, que sempre oferecem instrumentos para que possamos, acima de tudo, oferecer um serviço de qualidade e humanizado para nossa população”, afirmou.

Novo investimento

Ainda neste semestre, o Hospital Macrorregional de Santa Inês passará a contar com leitos destinados à maternidade e com foco em boas práticas de assistência à saúde. As ações incluem uso de quartos privativos, métodos não-farmacológicos de alívio da dor, técnicas de relaxamento e presença de acompanhante, seguindo o que determina as orientações do Ministério da Saúde.

O Instituto Acqua mantém a gestão da unidade em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde (SES).

VOCÊ PODE GOSTAR TAMBÉM

0 comentários

ATENÇÃO!
Todos os comentários abaixo são de inteira RESPONSABILIDADE EXCLUSIVA de seus Autores(LEITORES/VISITANTES). E não representam à opinião do Autor deste Blog.